Image Map

07/06/2014

Christiane Torloni participa de encontro com líder espiritual


A casa de Márcio Garcia, no alto do Joá, no Rio de Janeiro, foi o ponto de encontro de artistas como Giovanna Antonelli, Reynaldo Gianecchini, Christiane Torloni, Guilhermina Guinle, Ísis Valverde, Ana Maria Braga, Eriberto Leão, Vanessa Gerbeli, Paula Burlamaqui, Gabriela Alves, entre tantos, na noite dessa quinta-feira (05). O motivo? Um encontro com Prem Baba (Pai do Amor), o líder humanitário e mestre espiritual brasileiro que conquistou seguidores em todo planeta e trabalha firmemente com o propósito de 'acordar' o amor em toda a humanidade. Foram 60 pessoas que fizeram perguntas e ouviram sobre o desapego, amor e a importância da meditação, ao menos por um minuto ao dia, como forma de auto conhecimento.

A atriz Bárbara Borges, grávida de nove meses e meio e na iminência de parir a qualquer minuto, protagonizou uma das cenas mais emocionantes da noite, quando ela se ajoelhou e o líder espiritual colocou as mãos em sua barriga. Logo depois ela perguntou sobre maternidade. Já Christiane Torloni quis saber sobre a prática do desapego e Gabriela Alves, sobre a importância das artes em geral. "A pessoa pode ter sucesso e fama, mas pode ser infeliz. A arte é um dom divino e se é feito com amor, o sucesso é consequência", respondeu Baba.

Sobre Prem Baba
Prem Baba é o nome espiritual de Janderson Fernandes de Oliveira, nascido no bairro da Aclimação, em São Paulo. Ao longo dos anos, formou-se em psicologia e estudou a fundo a psique humana e técnicas orientais e xamânicas. Fundou um centro terapêutico, onde desenvolveu atividades mesclando técnicas de meditação transcendental, terapia junguiana, Reich, artes marciais, Osho, bioenergética e massagem. Por anos deu aula para milhares de pessoas, mas aos 32 anos, quando visitou Rishikesh, na Índia, encontrou seu guru, Sri Hans Raj Maharajji, e a partir daí seus ensinamentos foram parar nos quatro cantos do mundo - do Brasil à Índia, passando pelos Estados Unidos e Europa. No Brasil, fundou  Instituto Alegria, uma organização social sem fins lucrativos que tem como missão promover a educação integral. Além da mediação de conflitos, aplicada em comunidades desde 2010, o Instituto desenvolve o projeto Cultura de Paz e Prosperidade em escolas públicas do país.

Fonte: Bruno Astuto - Época e Quem

02/06/2014

Feliz Aniversário, Torloni Star!!!


Hoje, 2 de junho, nosso grupo Torloni Star completa 8 anos!! 8 anos de alegrias, de amizades construídas, de encontros , de muitos sonhos realizados!!! 8 anos de expectativas a cada novo trabalho de Christiane Torloni, de acompanharmos juntos fotos, notícias, entrevistas, 8 anos de emoções!! 8 anos de admiração, 8 anos acompanhando nossa estrela na defesa de um planeta melhor!! 8 anos de reconhecimento, de satisfação por sermos fãs de alguém tão especial!! 8 anos de felicidades!!
Parabéns a todos que fazem do Torloni Star o que ele é!! Que venham muitos e muitos anos ainda melhores!!!!


01/06/2014

Christiane Torloni participa de bate papo com público do FICA 2014

Com o Convento da Igreja do Rosário lotado, a atriz, e agora também cineasta, Christiane Torloni fez sua tocante participação no Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica) na manhã deste domingo (01). O fórum foi o primeiro nestes dezesseis anos de festival a reunir efetivamente cinema e meio ambiente, e a atriz aproveitou a ocasião para apresentar ao público seu novo trabalho, o documentário de longa metragem Amazônia: da cidadania a florestania – um despertar.

Dona de uma presença marcante, Christiane falou ao público sobre os seus mais de vinte anos de lutas pela democracia e pela preservação do meio ambiente. Ela contou que teve um berço cultural e político muito forte, ainda dentro de casa, mas que começou a se envolver nestas questões de forma mais eficaz nas Diretas Já. Durante as gravações da minissérie Amazônia, de Galvez a Chico Mendes, ela teve a oportunidade de voltar à região da Amazônia e viu despertar em si o mesmo ímpeto de antes, destinando sua luta, desta vez, às causas ambientais. Ela então se reuniu aos também atores Juca de Oliveira e Victor Fasano no projeto Amazônia para Sempre, que conseguiu mais de 1 milhão de assinaturas em prol da salvação da floresta.

Com a conclusão do projeto, a atriz contou que se sentiu cobrada a continuar agindo e, então, deu início à produção de um documentário, que reúne imagens de suas viagens à região amazônica, descobrindo povos indígenas, a fauna e a flora locais, e uma verdadeira rede de ação pela floresta. O projeto ainda está em fase de captação, mas, animada, Christiane prometeu voltar ao Fica no próximo ano, já para a exibição do longa.

Em um bate papo descontraído e bem humorado, a atriz ouviu os questionamentos do público e convocou a todos para lutar pelo Brasil. Ela disse que o seu trabalho como atriz e como cidadã é indivisível e que é preciso que todos também se vejam desse modo, como responsáveis pela cidadania e pela ação. “Nós temos que desfazer a imagem de que o brasileiro é preguiçoso, porque isso é uma mentira. O mais complicado hoje é tirar do brasileiro a desesperança”, afirmou, completando que a verdadeira luta tem que ser coletiva, pacífica, e fortalecida pela característica maior do nosso povo, que é a alegria.

A atriz e cineasta teve a oportunidade de conhecer um pouco do Fica, e também da Cidade de Goiás. Além de ter visitado o museu Casa de Cora e a Cachoeira das Andorinhas, ela brincou sobre a culinária regional, se mostrando ansiosa por saborear um tradicional arroz com pequi.












Fonte: FICA 2014 e Fabiana Oliveira (@GynFabiana)

Christiane Torloni concede entrevista coletiva no FICA 2014


Christiane Torloni está em Cidade de Goiás para o Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA), onde participará de um encontro com o público do festival neste domingo, às 10 da manhã, para falar de sua ligação com o cinema, as causas ambientais e o documentário que está produzindo,
"Amazônia - da cidadania à florestania: um despertar". Nesse sábado, Christiane concedeu uma entrevista coletiva à imprensa que cobre o festival. “O filme é um documentário em longa-metragem. Ele conta a história de uma rede de personagens, basicamente a partir de (Cândido) Rondon, até o século XXI. São personagens que, através da sua trajetória, construíram uma malha de sustentabilidade. Então, temos o Darcy (Ribeiro), os irmãos Villas-Bôas, o (poeta) Thiago de Mello, Tom Jobim, Miriam Leitão, o Milton Nascimento, muitos outros”, ela explica.



E vai além: “quando eu fui gravar (a minissérie) Amazônia, de Galvez a Chico Mendes, tive a oportunidade de conhecer o escritor chamado Antônio Alves, que é um dos pensadores desse conceito florestania”. O termo foi criado pelo acreano nos anos 1980. Se por cidadania se entende o sujeito que habita as cidades, florestania seria, por tabela, o conjunto de relações e direitos do habitante com a Floresta Amazônica.

O projeto Amazônia Para Sempre, aliás, teve início na época das filmagens da produção da TV Globo, em 2007, quando Christiane Torloni teve contato com a realidade da floresta de maneira mais intensa. E, ao lado do ator Victor Fasano, resolveu criar o manifesto, com o objetivo de sensibilizar a população brasileira sobre a situação alarmante da floresta. Foi criado, então, um abaixo-assinado, ao qual aderiram artistas como Gisele Bündchen, Malu Mader e Fábio Assunção, entre mais de um milhão de pessoas.

“Nunca a bancada ruralista se expôs de maneira tão clara como no ano passado, com a discussão da mudança do Código Florestal, o que é inconstitucional, atuando sobre uma brecha”, ela se revoltou. “Por que que a gente vota nesse lixo político? Eu não me casaria com nenhuma dessas pessoas, eu não convidaria elas para jantar na minha casa, eu não teria filhos com elas, então, porque eu vou votar nelas?”, disparou.


Sobre o convite para participar do Fórum Ambiental do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental, a atriz agradeceu o “voto de confiança”. “Eu acabei de filmar tem duas semanas. E o filme deve ficar pronto no segundo semestre”, adiantou. “É como se eu estivesse começando uma nova carreira”.
















Fonte: FICA 2014, AdoroCinema, Revista Zelo e Equipe Marconi