Image Map

29/10/2009

Christiane Torloni em coletiva de imprensa de "A Loba de Ray-Ban"

A atriz Christiane Torloni se emocionou ao falar de Raul Cortez (morto em julho de 2006), em encontro com a imprensa nessa quinta-feira (29), em São Paulo. A atriz interpreta o papel de protagonista da peça A Loba de Ray-Ban, uma versão feminina do personagem que foi de Cortez na primeira montagem do espetáculo em 1987. "A música do texto é a voz do Raul. Eu decorei as falas da minha personagem, mas ouço o Raul falando e isso é algo muito forte pra mim", disse ela, com lágrimas nos olhos.

Christiane também fez parte do elenco da primeira montagem, no papel que hoje é de Leonardo Franco. Já Maria Maya é novata no elenco. O papel dela foi vivido por Leonardo.

A trama fala do triângulo amoroso entre Julia, personagem de Christiane, Paulo (Leonardo Franco) e Fernanda (Maria Maya), que é amante de Julia, e a atriz falou sobre a homossexualidade, que é um dos temas da peça. "Ainda existe um grande tabu, mas a Julia tem um sentido de liberdade. Ela transita pela liberdade, pelo desejo, pela paixão", definiu ela.

Maria disse que sua personagem no espetáculo, Fernanda, enfrenta conflitos morais e por isso abandona seu amor, Júlia. "Essa questão é muito presente na minha geração - a virtual, do Twitter e do Facebook -, que está tão presa ao individualismo que acaba abandonando o amor. Eu também uso essas redes de relacionamento, mas trata-se de uma prisão", criticou.

Segundo ela, quando Christiane Torloni a chamou para um teste, ela agarrou o papel com todas as forças. "Eu quis trazer essa realidade para a ficção", contou. "Ainda não tenho resposta para a questão, mas espero encontrar pelo menos um conforto no teatro" .

Aos 28 anos, Maria acredita que A Loba de Ray-Ban será um divisor de águas na sua carreira. "Só agora estou conseguindo fincar a minha história na profissão que escolhi e amo. Fico feliz em poder juntar no palco a minha maturidade profissional com a pessoal".

Maria Maya volta a contracenar com Christiane Torloni após interpretar sua filha problemática - e rejeitada - em Caminho das Índias, da Globo. Nos palcos, a atriz vive a amante da personagem de Christiane. "Foi um conjunto de acontecimentos e coincidências quase mágicos Eu fiz o teste para a peça antes da novela e, no início, eu tinha outro papel na trama. Soube três dias antes de começar a gravar que seria filha da Chris", contou.

Para Christiane, a novela foi um teste para as duas atrizes. "Se a gente não tivesse sentido química, seria uma chance para afinar ou para dizer tchau", ressaltou.

Para Christiane, os espetáculos de 1987 e o de hoje marcaram uma "passagem de nível". "Há 22 anos, eu estava chegando aos 30, uma fase maravilhosa, em que a mulher se distancia dos seus conceitos da adolescência. Agora vivo outra passagem. Cheguei à maturidade. O texto tem o mesmo emblema para mim como teve há 22 anos. Hoje ele diz: 'você é uma loba, então seja uma'", explicou.

A atriz enfatizou que nos dois anos em que levantou recursos para montar a peça ela passou por um processo de crescimento. "Eu entrei num concurso de dança (o Dança dos Famosos, do Domingão do Faustão), algo que nunca pensei que faria e muito menos que pudesse ganhar, reuni assinaturas para um projeto ambiental (o Amazônia para Sempre), fiz uma novela das 20h (Caminho das Índias) e um filme (Chico Xavier). Esses projetos me fizeram alcançar a maturidade também nos palcos", disse.


A Loba Ray-Ban, que tem a direção de José Possi Neto, estréia no próximo sábado (7), em São Paulo, no teatro Frei Caneca.

FONTE: EGO , O DIA, OFUXICOE TERRA

------------------

Mais uma foto de divulgação da peça:

FONTE: TERRA

Nenhum comentário: