Image Map

29/07/2008

Christiane Torloni e Victor Fasano em reunião da FIESP


Marina Silva, Christiane Torloni, Victor Fasano e representantes da Fiesp discutem futuro da Amazônia


( Foto: Kênia Hernandes,site Fiesp)


A convite do presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, a senadora Marina Silva (PT-AC) e os atores Victor Fasano e Christiane Torloni reuniram-se nesta segunda-feira (28), na sede das entidades, para uma “chuva de idéias” – como definiu a senadora – sobre o futuro da Amazônia.
Na reunião, que aconteceu na sede da federação, Christiane Torloni e Victor Fasano, idealizadores do movimento Amazônia para Sempre, dizendo-se ativistas da causa ambiental, demonstraram à ex-ministra seu engajamento e a vontade de realizar algo concreto pela floresta.

"Marina é nossa musa inspiradora do Amazônia para Sempre", disse Torloni. O movimento já conseguiu mais de 1 milhão de assinaturas contrárias ao desmatamento da Amazônia e tenta, por meio de encontros e ações como o encontro com Marina, angariar mais adeptos à causa.
Na entrevista coletiva que se seguiu à reunião, Marina Silva destacou o ineditismo de ver a classe política, representada por ela, sentar-se à mesa de discussões com os representantes do setor produtivo e da sociedade civil – simbolizados por Christiane e Fasano, idealizadores do movimento “Amazônia Para Sempre”,– compartilhando os mesmos ideais.
A senadora, que saiu do governo dizendo-se impedida de levar adiante suas políticas dentro do ministério, disse acreditar que o atual ministro, Carlos Minc, tem conseguido a substituir bem. "Trocamos seis por uma dúzia, antes era só eu, agora sou eu e o Minc", afirmou Marina.
De volta ao senado, Marina compara seu papel dentro e fora do ministério e avalia como positiva sua saída. "Fora do governo posso estar aqui conversando com outros agentes para que a gente saia da agenda de comando e controle e vá para a agenda mais importante e estratégica, que é o desenvolvimento sustentável."

Grupo de trabalho

O primeiro passo mais provável é a formação de um Grupo Temático que discuta a questão da Amazônia, a exemplo do que a Fiesp já realiza com outros temas da seara ambiental, como a destinação de resíduos sólidos e a utilização dos recursos hídricos.

“Mas não vamos reinventar a roda. Existem processos que precisam ser cumulativos para gerar resultados, por isso temos que olhar tudo o que já existe”, afirmou a senadora.
Christiane Torloni manifestou preocupação com "a ameaça à soberania nacional". Para a atriz, quando a opinião pública internacional questiona a capacidade do Brasil em cuidar da floresta e levanta a hipótese da internacionalização, o que se coloca em dúvida é a própria autonomia do País. "E nós entregaríamos a Amazônia para quem? Com quais propósitos?", alertou.Christiane Torloni disse que o país vive um momento decisivo, que comparou à "tomada de consciência" que antecedeu o movimento Diretas-Já.
"Estamos agora, por uma questão absolutamente cósmica, a ponto de sermos líderes mundiais: produzindo alimentos, biocombustível e proteção ambiental. Ou não, podemos ser os maiores vilões do planeta: produzindo a madeira mais ilegal do mundo, a soja mais ilegal do mundo, a carne mais ilegal do mundo, e produzindo o maior deserto do mundo, cabe a nós escolhermos."
Segundo Sérgio Amaral, a Fiesp promoverá, em setembro, um grande encontro na própria Amazônia para debater obstáculos e possíveis soluções para a região. "Será um evento amplo, com todos os atores envolvidos", observou, lembrando que a atual gestão da Fiesp encara como "um dever" o envolvimento na questão amazônica.

"A floresta não pode ser vista como um problema, mas como um grande ativo para o País e para as empresas modernas", ponderou o embaixador, que, em 2002, quando estava à frente do Ministério da Ciência e Tecnologia, criou o Centro de Biotecnologia da Amazônia.

"Gerir os recursos da floresta e aproveitar racionalmente sua rica biodiversidade são estímulos ao desenvolvimento tecnológico e à formatação de uma política industrial focada em mecanismos limpos de produção, que contemple as necessidades das populações locais e os anseios de toda a sociedade", acrescentou.
Fonte : Portal Fiesp, Folha online, O GLobo online

5 comentários:

Lorena ;) disse...

E a luta continuaa ;)

-minha net ta caindoo-

Gisa disse...

Nossa, quel legal isso, a chris participando de encontros politicos, representando a sociedade civil, estamos muito bem representados então. Tomara que as discussões nos levem ao caminho do respeito à Amazônia e da soberania nacional.

Ellenzinha disse...

POis é, são essas atitudes que me fazem admirar e respeitar a cada dia mais essa atriz. Grande Cidadã!

Tenho certeza que Christiane Torloni e Victor nos representaram muito bem ontem e continuirão nos representando.

E como você falou Gisa, que essas discussões nos ajudem a atingir o objetivo que é preservação desse grande patrimônio que é a nossa floresta Amazônica.

Nós todos vamos conseguir !!!

Natalia Reis disse...

Espero que essa Fiesp esteja mesmo bem intencionada, porque os capitalistas são um dos principais vilões das agressões ao meio ambiente, pois o lucro é só o que lhes importa!

Mary Jo disse...

Sou portuguesa e vivo em Portugal mas sigo de perto as noticias da nossa Torloni. Acho que sem duvida este movimento de "Amazonia para sempre" manifesta o lado mais solidario da atriz para além das suas outras tantas qualidades. Faço parte de uma associação e ja manifestei o meu interesse a ela e ao Victor para que viessem a Portugal falar sobre isso mas infelizmento ainda nao obtive resposta...

Parabens pelo vosso blog. Gosto sempre de vê-lo para me sentir um pouco mais perto da vossa realidade, e da nossa Chris.

Beijos para todas!

Passem pelo meu cantinho se quiserem =)